Contrologia-no-Pilates

Contrologia no Pilates

Quem conhece um pouco sobre a história do Pilates sabe que o nome dado ao método por Joseph Pilates era “contrologia”. Isso porque o mais importante para ele era o controle total do corpo e da mente, por meio dos exercícios e dos princípios, traçados abaixo:

Respiração:
A respiração é um dos princípios mais importantes do método Pilates, e por este motivo está presente em todos os exercícios. Devemos usar um padrão respiratório eupneico (não aumentar nem diminuir a frequência respiratória), utilizando a parte inferior do tronco.
Concentração:
A concentração está diretamente relacionada com a atenção. Para realizar um exercício com concentração, precisamos estar atentos a todos os estímulos que recebemos. Devemos nos concentrar em cada parte do corpo, na sua disposição e se o alinhamento está correto.

Alinhamento Postural:
Melhorar a postura é um dos motivos que levam milhares de pessoas a procurar o método Pilates. Todas as estruturas do corpo devem estar alinhadas durante a prática do Pilates.

Controle:
Ter controle é realizar os movimentos com consciência, evitando compensações musculares e posições indesejadas. É realizar o exercício de forma exata, tendo plena noção de que ele está saindo da forma planejada, sem que as outras regiões do corpo sejam afetadas pelo movimento.

Fluidez:
A fluidez é o princípio que garante que todos os movimentos sejam leves e harmoniosos, sempre seguindo o ritmo da respiração.

Precisão:
A precisão, assim como a concentração, também ajuda a unir corpo e mente. Ela também está muito ligada ao controle, pois juntos eles garantem movimentos precisos e controlados, sendo a chave para exercícios com o máximo de eficiência e o mínimo de lesão.

Centralização da força:
A centralização da força é um dos focos mais importantes da técnica do Pilates. Durante todos os exercícios é necessário estar com o centro do corpo ativado e estável, por meio da contração dos músculos do tronco.

[Informações via Revista Pilates, publicação no dia 29.04.2015: http://revistapilates.com.br/2015/04/29/principios-da-contrologia/]